Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desenhos Animados - Anos 90

Blog sobre todos os desenhos animados dos anos 90 e alguns que eu gostei a partir do ano 2000.

Sab | 14.09.19

História da Programação Infantil na televisão portuguesa: RTP2

desenhosanimados-anos90

A RTP2 demorou muito tempo a chegar a todo o território português, por isso só em 1992 este canal fez uma aposta em programas infantis em dois espaços horários distintos. “O Recreio da 2” era emitido nos dias úteis no período da tarde, enquanto que “Agarra o 2” ia para o ar aos fins-de-semana ao início da tarde. Ambos os programas estavam estruturados de forma semelhante e centravam-se na transmissão de desenhos animados, séries de animação e em algumas emissões em passatempos, concursos, reportagens breves e ainda alguns convidados em estúdio.


O programa mais significativo do segundo canal, o “Um-Dó-Li-Tá”, entrou no ar em 1993. Devido ao longo período de tempo que esteve no ar, teve diferentes formatos de apresentação: iniciou-se com a apresentação de dois animadores, Vera Roquette e Francisco Barbosa, sendo estes substituídos pelo par “Um-Dó” e “Litá”, duas molas saltitantes que tinham a forma de desenho animado e nos últimos anos em que esteve no ar foi apresentado por dois bonecos manipulados, HumHum e Benzé. No ano de 1994 existe mais uma aposta na programação a que os espectadores mais pequenos tinham acesso e que permitia uma maior cobertura durante o dia: um bloco diário de cerca de duas horas ocupado pelos habituais bonecos animados, algumas séries estrangeiras já dobradas para português que entravam na casa dos mais novos com o título de “Escola Paraíso”. Para além destas séries também se mantiveram os produtos da casa como a “Rua Sésamo”, “Os Amigos de Gaspar”, “No Tempo dos Afonsinhos” e “Um-Dó-Li-Tá”.


Em 1997 nasce o jogo virtual “Hugo”, um duende desenvolvido por computador que em cada episódio contava com a ajuda dos telespectadores via telefone: toda a movimentação do jogo era um desafio tanto para os participantes como também para quem apenas ficava sentado no sofá a torcer para que o “Hugo” conseguisse alcançar o seu objectivo.

Em 2000 a RTP2 estreia o programa "Levados da Breca" que era transmitido nas manhãs do canal.

No final de 2001 a RTP2 passa a ocupar as suas manhãs com o "Espaço Infantil", o que ainda se verifica atualmente.

Em 2002 a RTP1 estreia nas suas tardes o espaço "CMM - Canal Meninas e Meninos" e a RTP2 adota este espaço para as suas manhãs, mas duraria pouco tempo.
No ano 2000 estreou em Portugal a série “A Loja do Noddy”, mas o verdadeiro fenómeno de sucesso aconteceu dois anos mais tarde, em 2002, quando a RTP2 transmitiu a série “Abram alas para o Noddy”, também devido às imagens em três dimensões, uma característica marcante neste programa infantil. Em 2006, ainda relativamente a esta série, estreou mais uma temporada desta série, “Digam com o Noddy” que tinha como objectivo ajudar as crianças a aprender as primeiras palavras em inglês.
Aquando da reestruturação do canal, em 2004, a emissora entregou parte do seu horário de programação a entidades da sociedade civil, passando a denominar-se a 2: .
Com o objectivo de harmonizar a programação, o director geral da RTP2, Jorge Wemans, optou pela criação de horários específicos para públicos específicos e surgiu o bloco infantil "Zig Zag".

Para a faixa dos 4 aos 10 anos foram estabelecidos três horários distintos. Os programas educativos de qualidade eram exibidos num período da manhã (7:00 às 14:00), noutro da tarde (16:00 às 17:00) e num terceiro nocturno (19:40 às 20:40). Para uma faixa etária mais velha, dos 8 aos 12 anos, a RTP2 criou um conjunto de conteúdos produzidos por produtores independentes.

Em 2007 a 2: voltou ao modelo abandonado quatro anos antes, retomando igualmente o nome RTP2. As alterações na grelha de programação foram introduzidas de forma gradativa, com alterações pouco significativas na programação infantil.
Destacam-se os programas Kulto e PICA.
O Kulto era um programa descontraído, jovem e divertido que apresentava uma característica determinante para o seu sucesso: a interacção com o público. As inovações estenderam-se ainda à página da Internet onde existia a possibilidade de comunicação com os espectadores. No magazine cultural diário PICA (Programa de Intervenção em Canal Alternativo) era abordado um conjunto de temas de interesse para os mais novos. 

No dia 8 de dezembro de 2007 foi criado um bloco infanto-juvenil chamado "Kaboom" para passar aos sábados e selecionava três episódios do bloco. Terminou em 2009.

Depois do sucesso alcançado com “Rua Sésamo” e “Jardim da Celeste” a RTP2 apresentou mais uma série de origem portuguesa “A Ilha das Cores”, que passa actualmente na emissão. A série infantil tem como objectivo divertir e ensinar o público infantil dos dois aos cinco anos, por meio de um projecto colorido, muito ritmado que recorre às técnicas mais actuais de fazer televisão, onde se misturam pessoas com bonecos manipulados e animação tradicional em 3D.

O espaço infantil actualmente no segundo canal é ainda composto pelo "Zig Zag", um conjunto de séries que ocupam três horários distintos e é transmitido diariamente.

Sab | 14.09.19

História da Programação Infantil na televisão portuguesa: RTP1

desenhosanimados-anos90

A programação infantil em televisão iniciou-se em 1963 por iniciativa de uma equipa de produção que procurava divulgar a qualidade de formas e conteúdos para os mais novos. Na programação infantil, Maria João Avillez tornou-se numa apresentadora muito admirada pela forma como se empenhava na crónica humorística e na divulgação de figuras como o Pica-Pau, o Quim Pincelada, o Sebastião ou o Dói-Dói.
No que concerne aos conteúdos dos programas infantis da época, destaque para o “Mãos à Obra”, um programa que se centrava no aeromodelismo, e para o “Clube Juvenil”, que fez uma aposta significativa no xadrez.
Em 1966, a programação infantil sofreu alterações com a introdução de programas durante os dias da semana, no horário entre as 20h30 e as 21h: ”O Carrossel Mágico”, as aventuras da menina Anica e do seu cão Franjinhas, o Saltitão, o Ambrósio, o tio Realejo e o Flávio são algumas personagens de programas desta época.
Segundo dados da RTP, em 1973 a Telescola e os programas educativos dominavam a programação do canal de serviço público, com 770 horas, seguida da programação cinematográfica, com 487 horas, e do Telejornal (incluindo as actualidades) que chegava às 431 horas.
A rubrica televisiva “Cinema de Animação”, apresentada por Vasco Granja iniciou-se em 1974 e esteve no ar durante 16 anos, contabilizando um total de cerca de um milhar de edições. Um dos maiores sucessos foi “O Lápis Mágico”, uma série que pretendia desenvolver a capacidade imaginativa das crianças.
Em 1977, o Departamento de Programas Infantis e Juvenis, a cargo de Maria Alberta Menéres, introduziu na programação séries de sucesso como a “Wickie” ou a “Heidi”, com o aparecimento das dobragens em português. Espaços como o “Abre-te Sésamo”, que viria a dar lugar a “Rua Sésamo”, um programa de que falaremos mais adiante pela importância que teve, e o “Fungagá da Bicharada, foram grandes sucessos na televisão portuguesa.
No início da década de 80 a programação infantil ficou marcada por três rubricas: “Arte & Manhas”, um programa divertido com Júlio Isidro no papel do “Tio Julião”, “Quadrados e Quadradinhos”, directamente do teatro Villaret, e por último “Miúdos e Graúdos”, assente num modelo de programa musical orientado para os interesses das crianças onde se abordavam temáticas relacionadas com a escola, sociedade, ambiente e televisão.
No ano seguinte nasceu o “Bom-Dia Domingo” pensado para juntar todas as gerações à volta do ecrã. Ainda no mesmo ano surgiu rato Topo Gigio que se apresentava após o telejornal da noite.
Em 1982 surgiram o “Vamos Cantar um Conto”, “Segredos dos Dedos” e “As Crianças e os Livros”. O primeiro, como o próprio nome o indica, era um contar de histórias infantis ao som de canções enquanto que o segundo programa, “Segredos dos Dedos”, teve a duração de 13 emissões e eram apresentados e desenvolvidos temas que permitissem aos mais pequenos ocupar os seus tempos livres. Este programa teve ainda como característica o facto de as crianças poderem participar em estúdio e mostrar o que eram capazes de fazer com as mãos. O último tipo de programa era uma viagem que Maria Alberta Menéres e Otília Ribeiro faziam pela literatura infantil.
Um telejornal feito para os mais novos foi a inovação que se fez sentir no campo da programação infantil em 1984. O “Jornalinho” aliava a informação que interessava aos mais pequenos, blocos de notícia de desporto e da actualidade internacional, com séries infantis. No início do mesmo ano, a chefe do Departamento de Programas Infantis e Juvenis, Maria Alberta Menéres, conseguiu uma nova área de produção deste tipo de programação e em 1988 nascia “O Romance da Raposa”, uma produção portuguesa. O êxito alcançado por esta série permitiu a sua extensão a várias estações de televisões estrangeiras.

"Juventude e Família" era o espaço responsável pela dose de desenhos animados dos Sábados e Domingos de manhã, transmitido de 1986 até ao final de Março de 1990.

No final de Março de 1990, aos Domingos "Juventude e Família" foi substituido temporariamente por "Domingão". No inicio de Abril, aos Sábados foi substituido por "Meu Querido Sábado", e finalmente, ao terminar as férias grandes, ambos foram substituidos pelo "Canal Jovem".

Entre 1986 e 1989 a RTP1 transmitiu o "Clube dos Amigos Disney".
O ano de 1989 ficou na história da programação infantil com o lançamento da “Rua Sésamo”, uma das séries infantis mais acarinhada pelas crianças.

Entre o final dos anos 80 e inicio dos anos 90 a RTP1 emitiu o espaço “Brinca Brincando”.

Em 1991 nasceu o “Clube Disney”, exibido semanalmente.
Cada emissão era apresentada por um grupo de jovens que se dedicava a abordar um tema diferente por meio de filmes de animação dobrados em português, reportagens, séries da Disney, participação dos telespectadores via telefone e por um espectáculo itinerante.

Em 1993 e 1994, as manhãs aos fins-de-semana da a RTP eram preenchidas com o “Canal Jovem”, e nos três anos seguintes foi exibido o “Sempre a abrir”.
Em 1996 nasceu o www.aldeiaglobal.pt, uma rubrica emitida de segunda a sexta-feira que se dedicava às novas tecnologia. A rubrica que se tinha apresentado com  uma vertente simultaneamente educativa e lúdica dava destaque à Internet procurando levar conhecimentos sobre as novas tecnologias aos alunos de várias escolas do país.
Em 1997 surgiu “O Jardim da Celeste”, um programa pensado para substituir a consagrada “Rua Sésamo”. No programa, Ana Brito e Cunha era uma educadora de infância com uma carrinha mágica que em cada episódio levava as crianças para um sítio diferente. Cada nova aventura contava com a presença de 11 bonecos de personalidades distintas mas sempre disponíveis para uma destemida aventura. 


Em 1999 surge um vasto leque de escolhas, programas que se sucediam constantemente a outros que chegavam ao fim. Tudo começou com “Tic-Tac”, um bloco matinal de desenhos animados que iam para o ar diariamente, mas logo na reestruturação de Outono cedeu o lugar para o programa “Infantaria”, que era realizado em directo nos períodos da tarde nos dias úteis e no bloco da manhã ao fim-de-semana, e que cativou a atenção do público-alvo com facilidade. O período de sucessões ainda não tinha terminado, e a “Infantaria” foi substituída pelo “Recreio do Tonecas” e o "Saídos da Casca" que tinham lugar no período da tarde. Em comum os programas tinham a presença de crianças em estúdio e incluíam a apresentação de desenhos animados e séries, concursos, jogos e passatempos.

Em 2001, a RTP perdeu o direito de exibição das séries da Disney e de forma a compensar a audiência infantil, introduziu dois novos programas de produção externa: o “Clube Zip” e o "Mega Zip". Exibido nas manhãs do fim-de-semana, o programa era preenchido por passatempos, jogos, música e pequenos concursos.


Em 2002 registam-se duas épocas distintas de programação infantil: na primeira que vai até Outubro desse ano, a programação incluía apenas “Espaço Infantil” aos fins de semana.

Nos primeiros meses de 2002 surgiu o espaço "A Hora Warner", em parceria com a Warner Bros, emitido no final das manhãs de fim de semana.

Também nesse ano surge o programa "Floresta Mágica" nas manhãs de fim de semana.

Na reestruturação da grelha surgiu um bloco de desenhos animados com o nome “CMM - Canal Meninas e Meninos”, nas tardes da RTP1, que terminou em Janeiro de 2003.

Em 2003 no inicio das manhãs de fim de semana a RTP1 emitiu o programa "Brincar a Brincar".

No ano 2004 a RTP1 estreia o programa "Martataka" que tinha como pano de fundo um fabuloso cenário que retratava a Terra e Marte e que incluia desenhos animados. 

Em abril de 2006 surgiu nas manhãs de fim de semana o espaço "Brinca Comigo" que se manteve até 2012.

Actualmente, as crianças apenas têm um espaço a elas dedicado ao fim-de-semana, o "Zig Zag" que se inicia às 6h30 da manhã e termina às 8h. Este espaço de hora e meia é composto por desenhos animados.

Qui | 12.09.19

Eu Sou o Weasel

desenhosanimados-anos90

260px-I_Am_Weasel.png

I Am Weasel (Eu Sou o Weasel) é uma série de desenhos animados estadunidense que foi produzida pelo Cartoon Network Studios, estúdio de produções do canal de televisão Cartoon Network, e criada pelo animador David Feiss, o mesmo criador da também série de desenhos animados A Vaca e o Frango.

Em Portugal foi transmitida pela TVI no inicio dos anos 2000.

 

História:

Máximo_e_Babão.png

O desenho não conta uma história muito bem fixa, pois a cada episódio os personagens aparecem exercendo um papel diferente, são mostrados tendo um emprego diferente e a história se passa em um lugar totalmente diferente em relação ao episódio anterior. Os personagens que protagonizam a história são uma doninha chamada Máximo e seu amigo babuíno chamado Babão. Máximo é uma doninha muito inteligente que sempre faz benefícios às pessoas, dependendo da profissão que ele esteja exercendo no episódio. Por causa disso, ele é aclamado e respeitado por todos ao seu redor. Por essa mesma razão, Babão, apesar de ser o melhor amigo de Máximo, tem muita inveja do sucesso dele, principalmente pelo jeito como ele é tratado pelas pessoas. Babão sempre tenta superar o sucesso de Máximo tentando fazer as coisas melhor do que ele, mas como Babão sempre faz tudo de qualquer jeito sem nenhum cuidado, ele acaba sendo odiado pelas pessoas que sempre ficam rindo de seu traseiro, o que o deixa tão irritado que faz com que tenha ataques de histeria. Como Máximo é praticamente o único amigo de Babão, é também o único que tem pena dele por este não receber o mesmo tratamento das pessoas. Bum Defora, que é o mesmo personagem que aparece em A Vaca e o Frango, também aparece em vários episódios de Eu Sou o Máximo, sempre com uma identidade diferente. Suas aparições, na maioria das vezes, são para poder pegar o Máximo ou o Babão infringindo a lei, para depois prendê-los por isso. Mas o Máximo sempre arranja uma solução para qualquer problema, não importa a dificuldade.

 

Genérico:

Qui | 12.09.19

Cow and Chicken

desenhosanimados-anos90

Cow_and_Chicken_logo.png

Cow and Chicken é uma série de desenhos animados que em Portugal foi transmitido pela TVI através do Batatoon, criada por David Feiss em 15 de dezembro de 1995 com o lançamento de um episódio piloto. Cow and Chicken teve um total de 52 episódios divididos em quatro temporadas que foram produzidos entre 15 de julho de 1997 e 24 de julho de 1999. 

 

História:

nvtelen.jpg

O universo de Cow and Chicken é bastante bizarro, uma vaca é irmã de um frango e os dois são filhos de humanos, dos quais apenas a parte inferior é mostrada. Além disso, Bum de Fora, um sujeito nu vermelho que se assemelha ao demónio, completa o cenário da série, que conta com outros personagens igualmente bizarros.

A série usa de vários clichés de desenhos. Por exemplo, a Vaca possui um alter-ego Supervaca, uma super-heroína cujas características são diferentes das da sua personalidade normal (como poder voar e falar espanhol). O vilão Bum de Fora tenta descobrir a sua verdadeira identidade para derrotá-la, o que possibilitaria que ele obtivesse sucesso em sua tentativa de corromper o Frango. Os pais dos dois, chamados Pai e Mãe, possuem apenas a parte de baixo do corpo e, em alguns episódios, a câmera mostra que não há nada acima de suas cinturas.

 

Genérico:

Qui | 12.09.19

SIC Kids

desenhosanimados-anos90

hqdefault.jpg

Em 2006 a SIC estreou um novo bloco de animação, o SIC Kids, que era transmitido todos os dias nas manhãs do canal. O espaço terminou em 2011.

Qui | 12.09.19

Martataka

desenhosanimados-anos90

844947841_1_1000x700_cd-infantil-zip-zap2-almada_r

Programa infantil que tinha como pano de fundo um fabuloso cenário que retratava a Terra e Marte e que incluia desenhos animados. Era apresentado por Ticha. Passou na RTP1 nas manhãs de fim de semana em 2004.

Qui | 12.09.19

Disney Kids

desenhosanimados-anos90

logo DISNEYKIDS VI.jpg

Disney Kids foi um espaço infanto-juvenil da SIC emitido nas manhãs de fim-de-semana desde 6 de Outubro de 2001até 2015. Exibia séries e mini-séries da Disney e também chegou a ter concursos. A última emissão foi a 30 de agosto de 2015

Os apresentadores do programa foram:

  • Ivo Évora e Sara Jorge (2001-2002)

B7DqvCSCAAAHI8a.jpg

  • Cláudia Borges e Fernando Martins (2002-2004)
  • Francisco Garcia e Carolina Patrocínio (2004-2008)

B7DqvCSCAAAHI8a.jpg

  • Catarina Mira e João Paulo Sousa (2008-2011)

B7DqvCSCAAAHI8a.jpg

Genéricos:

Promos:

Qui | 12.09.19

Floresta Mágica

desenhosanimados-anos90

844947841_1_1000x700_cd-infantil-zip-zap2-almada_r

Este foi um programa infantil da RTP1 transmitido nas manhãs de fim de semana do canal entre 2002 e 2003. Vários actores interpretavam vários animais da floresta como o Papa Formigas, a Coruja, entre outros. 

Os atores que interpretavam as personagens do programa eram: Cláudia Takase, Rui Melo, Helena Montez, Camila França, Vera Paz, Diana Abreu, Carina Rosas, Célia Afonso, Roberta Areco, Miguel Costa, Célia Alturas, Dino, Miguel Cruz e Pedro Cunha.

hqdefault.jpg

Elenco:

Arara - Cláudia Takase

foto_arara.jpg

Capitão Trolaró - Rui Melo

Coruja - Helena Montez

foto_cor.jpg

Garça Bernice - Camila França

Garça Clotilde - Vera Paz

Garça Florinda - Diana Abreu

fotos_garcas.jpg

Joaninhas - Carina Rosas - Célia Afonso - Roberta Areco

foto_joan.jpg

Macaco - Miguel Costa

foto_macaco.jpg

Onça - Célia Alturas

foto_onca.jpg

Papa-Formigas - Dino

foto_pf.jpg

Sapo - Miguel Cruz

foto_sapo.jpg

Zebrão - Pedro Cunha

foto_zebr.jpg

Qui | 12.09.19

Totil Total/ Fun Totil

desenhosanimados-anos90

O "Totil Total" e o "Fun Totil" foram dois espaços infantis da SIC transmitidos nas manhãs de fim de semana. Estreram no dia 5 de Outubro de 2002 e estiveram no ar até 2004.

Totil Total

fun_total_2.jpg

Era um programa que reunia ritmo e côr, gravado dentro de um parque de diversões, onde participavam um grupo de cerca de três centenas de crianças.
Apresentado por Paula Leite, o programa era dividido em 6 seguimentos intercalados por desenhos animados

 

Fun Totil

fun_totil_2.jpg

Era  um programa infantil da SIC transmitido de 2002 a 2004 nas manhãs de fim de semana da SIC.

Tal como o "Totil Total", também este programa era gravado num parque de diversões. Também inluia desenhos animados.

O programa era apresentado por Paula Leite.

João Gamboa era o repórter radical do programa. 

Qui | 12.09.19

SIC a Abrir/ SIC Altamente

desenhosanimados-anos90

"SIC a Abrir" e "SIC Altamente" foram dois espaços infantis da SIC. Estrearam no dia 6 de Outubro de 2001 e estiveram no ar até 2002, durante quase um ano.

SIC a Abrir

19863578_4IhMe.gif

Programa infantil da SIC transmitido aos fins-de-semana de 2001 a 2002. O programa era apresentado por Francisco Garcia. 

O programa era transmitido na rua, e tinha jogos e passatempos, e incluia desenhos animados.

 

SIC Altamente

banner_pok.gifPrograma infantil da SIC transmitido aos fins-de-semana de 2001 a 2002. O programa era apresentado por Rita Pereira, mas José Figueiras também chegou a apresentar este programa. 

O programa tinha jogos e passatempos, e incluia desenhos animados.