Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desenhos Animados - Anos 90

Blog sobre todos os desenhos animados dos anos 90 e alguns que eu gostei a partir do ano 2000.

Desenhos Animados - Anos 90

Blog sobre todos os desenhos animados dos anos 90 e alguns que eu gostei a partir do ano 2000.

Ana dos Cabelos Ruivos

11.02.11 | desenhosanimados-anos90

anne2.jpg

"Ana dos Cabelos Ruivos" é um anime produzido pela Nippon Animation, baseado no romance "Anne of Green Gables" de Lucy Maud Montgomery (November 30, 1874–April 24, 1942). O romance já vendeu mais de 50milhões de livros desde a sua primeira edição de 1908. Lucy escreveu mais 7 livros que descrevem a vida da personagem "Ana Silvestre". Vários factos do livro são inspirados na vida da escritora Canadiana.
O anime foi produzido em 1979 e têm 50 episódios.
 
História:

ana16.jpg

Esta história passa-se na Ilha do Príncipe Eduardo, no Canadá, nos finais no séc. XIX. Matias e Marília Vicente, dois irmãos já com alguma idade, vivem numa quinta chamada Frontão Verde e, quando a história começa, visto que decidiram adotar um rapaz órfão para ajudar Matias no trabalho do campo, preparam-se para a sua chegada. Matias vai à estação de comboios mais próxima buscá-lo, enquanto Marília fica a tratar de tudo para o receber.

No entanto, quando Matias chega à estação, não é um rapaz que o espera, mas sim uma menina, Ana Silvestre. Sendo assim, ele nem percebe que é ela que está à sua espera lá fora. Dentro do edifício da estação, informam-no de que a Senhora Francisca, que tinha ido ao orfanato buscar uma criança para si e a quem os irmãos Vicente haviam pedido para trazer também um rapaz para eles, deixara aquela rapariguinha à espera que ele a viesse buscar. Matias é tímido e não fala do engano a Ana, decidindo deixar esse assunto para Marília tratar. Na viagem para casa, Ana, de onze anos, feliz por ir ter um lar e entusiasmada com as bonitas paisagens, fala imenso com Matias, que começa a gostar da menina e a ter pena da sua situação.

ana27.jpg

Logo que chega a casa, Marília insurge-se com o facto de Ana não ser o rapaz desejado e, apesar das súplicas da menina, decide ir com esta, no dia seguinte, a casa da Senhora Francisca, saber como ocorreu o engano e qual a forma de a poderem mandar de volta para o orfanato. Por isso, apesar de Matias desejar ficar com Ana, Marília parte com esta na tarde seguinte até Areias Brancas, onde mora a Senhora Francisca. Pelo caminho, pede que Ana lhe conte a sua vida até aí e comove-se com a vida difícil e sem amor que a menina teve. Em parte por esta razão, apesar de esclarecer as coisas com a Senhora Francisca, recusa a solução desta de Ana ficar a viver com uma outra senhora que mora ali perto e que deseja ficar com a menina apenas para que a última a possa ajudar com a sua grande família, como uma criada a quem não teria de pagar. Decide falar novamente com o irmão Matias.

De volta ao Frontão Verde, sozinha com Matias, Marília conta toda a história e diz-lhe que está disposta a ficar com Ana, o que faz com que o irmão fique feliz e aliviado. Quando Ana recebe a notícia, o seu sonho de ali viver torna-se realidade e começa desde logo a explorar a quinta e as redondezas, ao mesmo tempo que se ambienta muito bem à sua nova vida e à educação que Marília lhe começa a dar. A única coisa que não agrada a Marília é a imaginação desmedida de Ana, que faz com que por vezes se esqueça do que está a fazer, e a sua tendência para falar, falar e falar sem se cansar.

ana26.jpg

 O primeiro incidente que acontece é quando Raquel Lima, velha amiga de Marília, a vem visitar e quer conhecer Ana. Raquel é muito frontal e chega a ser dura com Ana, pois, logo que ela lhe aparece à frente, critica imenso o seu aspeto, nomeadamente a sua magreza e os cabelos ruivos. Ana é especialmente sensível em relação a esse ponto (aliás, ela detesta ser ruiva) e reage temperamentalmente aos comentários da Senhora Raquel. Esta última fica tão zangada que diz que não volta a pôr os pés no Frontão Verde.

Apesar de Marília não concordar com a forma como Raquel falou sobre Ana, diz-lhe que não se devia ter comportado assim com a sua amiga e que ficará fechada no quarto até ir pedir desculpa. Ana recusa-se inicialmente, mas, persuadida por Matias, acaba por não só pedir desculpa, como fazê-lo de uma forma que faz com que Raquel Lima passe a ser sua amiga.

Entretanto, Ana começa a ir à catequese (não logo à escola, pois as férias do Verão estão a começar) e torna-se grande amiga de Diana Barros, uma das filhas da família da quinta vizinha. As duas juram ser as melhores amigas para o resto das suas vidas.

Ana adora viver ali e fazer parte da família Vicente, mas vários pequenos incidentes lhe vão acontecendo e ela vai-se metendo em pequenas confusões, que no fundo são muito cómicas. Alguns acontecimentos serão relatados de seguida.

Marília não encontra o seu alfinete de ametistas e pensa que Ana, por o admirar muito, o levou para brincar e o perdeu. Apesar de a menina o negar, Marília não consegue arranjar outra explicação para o desaparecimento do alfinete e diz a Ana que ficará de castigo no quarto até contar a verdade. Dado que o piquenique da catequese está prestes a realizar-se e Ana quer muito ir, acaba por, recorrendo à sua grande imaginação, inventar uma história, confessando ter feito uma coisa que não fez. Quando Marília descobre o alfinete perdido e confronta Ana, pede-lhe desculpa e diz que errou ao forçá-la a sentir que tinha de inventar alguma coisa. Ana ainda vai a tempo de ir ao piquenique e Marília não consegue deixar de achar toda aquela história muito cómica.

Quando começa a escola, Ana vai muito contente para as aulas, faz amigas e gosta da escola (embora não goste muito do professor, tal como todos os seus colegas), mas outro acontecimento vem perturbar a sua vida. Um dia, Gilberto Brás, um seu colega que, por ter estado a viajar, começa a ir às aulas mais tarde, tenta chamar a atenção de Ana, aquela nova menina sonhadora, durante uns momentos em que o professor não está atento. Como esta está perdida no seu mundo de sonhos e nem o ouve, ele acaba por lhe puxar pela trança ruiva e lhe chamar “Cenourinha”, o que a faz ficar tão zangada (mais uma vez, por causa do seu cabelo ruivo!) que se levanta e bate com a lousa na cabeça de Gilberto.

O professor põe-na de castigo de uma forma que acha humilhante. Ana decide nunca mais falar com Gilberto. No dia seguinte, ao episódio da lousa partida junta-se mais um acontecimento envolvendo o seu colega, que acaba por fazer com que Ana não queira voltar à escola, e ninguém a consegue demover.

Ana passa a estudar em casa, a ajudar Marília e a brincar com Diana nos tempos livres. E eis que outra situação ao mesmo tempo cómica e dramática se dá. Um dia, Marília, que vai estar fora toda a tarde, diz a Ana que esta pode convidar Diana para vir tomar chá com ela, o que põe a menina extremamente entusiasmada. No entanto, durante o lanche, Ana confunde a garrafa de sumo de framboesa com a de vinho e oferece a última a Diana, que fica embriagada. A mãe desta, ao perceber o que aconteceu, acha que Ana o fez de propósito, mesmo depois de Marília interceder por Ana, e proíbe a filha de voltar a confraternizar com Ana. A tristeza da menina é enorme e, para poder ao menos ver Diana, volta a ir à escola. Passa-se algum tempo, durante o qual Ana se torna cada vez mais boa aluna e aplicada, até que algo novo acontece.

Numa noite em que, devido a um acontecimento político na cidade mais próxima, quase todas as pessoas estão fora da Vila das Flores, incluindo Marília, a Senhora Raquel e os pais de Diana, esta última aparece no Frontão Verde muito aflita, pois a sua irmã mais nova está doente e o médico também está fora. Matias vai à procura de um médico mais longe, mas é Ana que, em casa de Diana, salva a sua irmã. Isto deve-se ao facto de ter tratado de muitas crianças antes de ser adotada e saber o que fazer naquele caso. Por esta razão, a mãe de Diana perdoa a Ana e as duas amigas passam a poder estar juntas como dantes.

Há mais episódios cómicos que acontecem, como quando Ana quer agradar especialmente à Senhora Salomé, a esposa do novo pastor (assim se chamam os padres no Canadá), e pede a Marília para ser ela mesma a fazer um bolo especialmente para a sua nova amiga, enganando-se, no entanto, e pondo xarope para a tosse no bolo em vez de baunilha, o que faz com que fique inconestível.

O tempo passa entre outros episódios divertidos e Ana torna-se a coisa mais importante da vida de Marília e Matias. Cresce e decide que quer estudar para se tornar professora. A Dona Natália, uma professora que vem substituir o professor de que Ana nada gostava e que se torna muito popular entre os alunos, decide abrir uma turma de preparação para os exames de entrada no Colégio Real, onde Ana poderia vir a realizar o seu sonho. Ana e alguns dos seus colegas, incluindo Gilberto, começam a frequentar essa turma de preparação. Ana estuda muito, tal como Gilberto (ambos se tornam rivais na escola). Quando chega a altura de fazer os exames para a entrada nesse colégio na maior cidade da Ilha do Príncipe Eduardo, toda a turma está preparada, mas especialmente Ana e Gilberto, cujos resultados dos exames acabam por fazer com que sejam os primeiros da lista de admissão no Colégio Real, primeiro Ana e logo em seguida Gilberto.

Ana, Gilberto e os restantes colegas, que também passaram na admissão ao colégio, vão estudar para lá e aí Ana, com 15 anos, fica a saber que, se for a melhor em Inglês e Literatura Inglesa, disciplinas em que se sente como peixe na água, pode vir a ganhar uma bolsa de estudos para a faculdade, o que aumenta a sua ambição e a faz esforçar-se ainda mais nos estudos. Quando chega o dia de saber quem passou no curso do colégio e também quem ganhou a bolsa de estudos, a alegria não podia ser maior, pois Ana ganha efetivamente a bolsa e todos os outros passam no curso. Isto faz com que todos os amigos de Ana, novos e velhos, da Vila das Flores (e, claro, Matias e Marília) fiquem imensamente orgulhosos de Ana.

No entanto, a tragédia abate-se durante as férias, antes da ida para a faculdade. Matias morre subitamente, o que causa um desgosto difícil de ultrapassar a Ana, que é, no entanto, apoiada pelas suas amigas e pela Senhora Salomé.

No fim, e devido também a um problema de saúde de Marília, que a faria ter de vender a sua casa no Frontão Verde e ir viver com a Senhora Raquel, Ana decide abdicar da bolsa de estudos e concorrer a um lugar de professora numa escola de província da região (o curso do colégio permite-lhe isso), para poder ficar com Marília e ajudá-la. Ana fica feliz com este plano e sente-se bem consigo própria. Gilberto Brás, que concorrera à escola onde ambos tinham andado na própria Vila das Flores e fora aceite como professor lá, ao saber do que se passa com Ana e perceber que, quanto mais perto de casa e de Marília esta ficar, melhor, decide retirar a sua candidatura e sugerir o nome de Ana, concorrendo de seguida a outra escola mais longe. Ao ficar a saber deste gesto de Gilberto, Ana pede-lhe que a perdoe por ter sido tão teimosa e ter rejeitado a sua amizade no passado. Ambos tornam-se excelentes amigos, decidindo até fazer um curso universitário por correspondência e ajudarem-se nisso mutuamente.

A série acaba com Ana muito feliz por ficar no seu querido Frontão Verde, com todas as pessoas de que gosta à sua volta e satisfeita com os seus planos para o futuro, que, embora sejam diferentes do que pensara, a fazem sentir-se muito satisfeita.

 

A série foi exibida na RTP 2, nas tardes de segunda-feira, entre 1990 e 1991. Pouco tempo depois, regressou no Agora Escolha.

Personagens:

Ana Silvestre

anacabeloruivos.jpg

Marilia Vicente

marilia.jpg

Matias Vicente

matias.jpg

Diana Barros

diana.jpg

Gilberto Brás

gilberto.jpg

Raquel Lima

raquellima.jpg

Episódios:
Episódio 1: A grande surpresa 
Episódio 2: Um encontro decisivo
Episódio 3: Despedida do Frontão Verde 
Episódio 4: Ana conta a sua vida
Episódio 5: Marília decide-se 
Episódio 6: O sonho torna-se realidade 
Episódio 7: É difícil pedir desculpa 
Episódio 8: A catequese 
Episódio 9: Uma amiga a sério 
Episódio 10: Uma grande amizade 
Episódio 11: O alfinete desaparecido 
Episódio 12: A confissão 
Episódio 13: O primeiro dia na escola 
Episódio 14: Problemas na escola 
Episódio 15: Um rato no pudim 
Episódio 16: Um convite para tomar chá
Episódio 17: Uma carta importante 
Episódio 18: Há sorte na infelicidade 
Episódio 19: O aniversário 
Episódio 20: Aconteceu há um ano 
Episódio 21: Lágrimas de despedida
Episódio 22: Azar a toda a prova 
Episódio 23: Convite para a casa do pastor 
Episódio 24: A prova de coragem 
Episódio 25: Preocupada com Diana
Episódio 26: Grandes planos 
Episódio 27: O presente de Matias 
Episódio 28: Muitas surpresas 
Episódio 29: O clube das histórias 
Episódio 30: Uma experiência dolorosa 
Episódio 31: O salva-vidas 
Episódio 32: Uma viagem empolgante 
Episódio 33: A maçã envenenada
Episódio 34: Os caminhos separam-se
Episódio 35: Receios secretos 
Episódio 36: As últimas férias de Verão 
Episódio 37: Um grande dia para Rio Claro 
Episódio 38: Porquê logo o n.º 13? 
Episódio 39: Uma espera sem fim 
Episódio 40: Um grande êxito
Episódio 41: Uma oferta surpreendente 
Episódio 42: Vida de estudante 
Episódio 43: O sonho de ter uma bolsa 
Episódio 44: Saudades e medo dos exames 
Episódio 45: Gilberto e a medalha de ouro 
Episódio 46: Dúvidas e receios 
Episódio 47: Uma grande perda
Episódio 48: Despedida de Matias 
Episódio 49: Planos para o futuro 
Episódio 50: A despedida de Ana
 

Já nos anos 2000, a RTP exibiu outra série animada da Ana dos Cabelos Ruivos, também com a chancela da Sullivan Entertainment. Emília Silvestre deu novamente voz a Ana.

ana12.jpg

A Planeta DeAgostini lançou a série em DVD em 2007. Visto a RTP já não dispor da sua dobragem, a mesma foi recuperada a partir de gravações em VHS. Apenas o primeiro episódio não estava disponível, tendo sido feita uma nova dobragem nos estúdios Somnorte.

ana02.jpg